Image
Voltar ao topo
Exibir menu
13 de junho de 2014

Shame on you pra quem exalta vaias a Dilma

As vaias a Dilma não resultam em nada além de guerra em nome de paz. Parem com essa síndrome de coitadismo!

Dilma

Vocês que exaltam o comportamento daqueles que ontem vaiaram a presidenta do nosso país, shame on you! Não adianta fazer guerra em nome da paz, é difícil entender? Isso sem a necessidade de mencionar que quem estava no estádio ontem era uma parcela da classe média que só conseguiu estar lá por conta das políticas públicas implementadas pelo atual governo, que tem dado cada dia mais oportunidades ao povo.

É difícil lutar contra a enxurrada de manchetes sensacionalistas, reacionárias e oportunistas, principalmente quando estamos falando dos (infelizmente, comprados) maiores veículos de comunicação de massa do nosso país. Se a presidenta não fez um discurso ontem, não acredito que Dilma tenha agido completamente errada. Se os indicativos eram da falta de respeito logo mais demonstrada, a escolha de não se pronunciar foi boa. Além do que, claro, ela já havia se comunicado com os brasileiros, em rede nacional, dando assim suas boas-vindas ao evento que oficialmente se iniciou ontem. Falta de respeito gera falta de respeito, e por mais indignados que estejam com a “situação do país”, agir desta forma infantilizada só prova que o poder de argumento de alguns é tão pequeno quanto sua forma de pensar.

A culpa disso ou daquilo, quando se diz respeito ao nosso país, é parcialmente, quando não totalmente, sua. Seja a mudança que quer ver. Mas lembre-se: seja aquilo que gostaria de receber em troca. O que vai, volta. Somos todos corpos preenchidos com energias positivas e negativas. O que passamos pra frente é aquilo que desejamos pra gente.

O que você vive é aquilo que você acredita ou aquilo que realmente acontece?”

Ah, e parem com a síndrome do coitadismo. Nosso país é forte, rico e tem espaço para todos. A situação atual do país não é tão alarmante quanto pregoam. Diante da crise econômica mundial, o Brasil foi um dos países que menos sentiu suas reverberações. No entanto, a grande mídia não mostra isso. E, na verdade, tenta maquiar a verdade para esconder que, por conta de sua base atual, construída ao longo de dez anos, o país tem sim mostrado que é uma das economias emergentes mais fortes do globo.

Não se justifica explicar os fins com meios, mas é importante que deixemos à luz da consciência a forma com que os fatos são expostos pela grande mídia. Muita gente insiste no erro de que “a diferença se faz nas urnas”, mas eu discordo. A diferença se faz na forma com que se analisa a realidade. Sobre ela, existirá sempre dois lados: a factual, verdadeira, e a manipulada, mentirosa. Cabe ao discernimento de cada um, numa luta árdua, entender e compreender a verdade por ela mesma. O que você vive é aquilo que você acredita ou aquilo que realmente acontece?

Reflitam.

/ Para continuar a discussão:
Xingar Dilma Roussef foi grosseria indesculpável

É o que diz Josias de Souza em seu blog no UOL. Leia!

Vaias a Dilma têm mesmo o peso dado pelos jornais?

Será que Folha, Estado e Globo fazem parte da torcida organizada anti-Dilma?

/ Gostou deste post? Então experimente nossa newsletter semanal. Assine nossa newsletter.

/

Goiano, casado, jornalista, apaixonado por cultura e concurseiro. Morou em Brasília, no Rio de Janeiro e atualmente mora em Goiânia. Gosta muito de debates, pois acredita que as discussões enriquecem a todos. Mais textos de Lucas no New Home.

/CultPopShow © 2008-2014. Todos os direitos reservados.   |   Agência WCK