Image
Voltar ao topo
Exibir menu
22 de outubro de 2014

Conheça o app Artikin: exposições de arte no seu tempo

Artikin é um guia cultural que apresenta as melhores exposições de arte de São Paulo, listadas por ordem de encerramento. Eduardo Biz, co-criador do aplicativo, explica pra gente como funciona em um papo exclusivo. Veja!

Artikin

Imagem: divulgação

Muitas ideias incríveis surgem a partir do desejo de sanar ou viabilizar alguma necessidade ou ação. Este, por exemplo, é o caso do aplicativo para celulares Artikin, que funciona como um guia cultural que leva a agenda do público em consideração. Criado por Eduardo Biz, Damiana Carvalho e Rafael Barioni, o aplicativo nasceu da vontade de ter um guia que mostrasse as exposições de arte disponíveis na cidade de São Paulo por ordem de encerramento, tornando mais fácil priorizar as que acabam primeiro.

Em um kebab localizado no bairro do Pinheiros, em São Paulo, Eduardo Biz me encontrou para bater um papo e falar um pouco sobre o Artikin. Talvez você já tenha ouvido falar do Eduardo por outro projeto de sua autoria, Alguns Tormentos, marca de camisetas criada em 2003, que ganhou visibilidade na internet por suas estampas lindas e qualidade impecável. A Alguns Tormentos, no entanto, encerrou suas atividades em 2013, abrindo espaço para novas empreitadas do seu fundador.

Artikin

Imagem: divulgação

Atualmente, Eduardo é pesquisador de tendências, cultura e comportamento na Box1824, uma das principais empresas brasileiras de pesquisas de tendências, além de ser editor de conteúdo da Ponto Eletrônico, plataforma de conteúdo oficial da agência que traz fragmentos de futuro em artigos e reports abertos. Inclusive, foi lá na Box1824 que nasceu a ideia para o Artikin, quando Biz estava organizando seu doc com as exposições de arte que visitaria e alguém sugeriu disponibilizar o arquivo na nuvem para todos os participantes do grupo no Facebook da Box: “Ir a exposições é o meu hobby, é o que mais gosto de fazer. Eu saio por aí entrando nas galerias e descobrindo exibições, mostras, performances e outras manifestações artísticas. Com isso, eu criei um documento para organizar tudo o que queria ver por ordem de encerramento, assim eu poderia me antecipar e priorizar as que acabariam primeiro”, conta Eduardo.

“Olhando o doc, eu pensei que aquilo poderia ser transformado em um aplicativo, servindo como um guia cultural para ajudar as pessoas a não se perderem e incentivá-las a conhecer mais exposições”. A ideia parecia boa até ele ter conhecimento do custo para se criar um app, alto demais para um projeto independente. Foi aí que Damiana e Rafael entraram na jogada. Ela é pesquisadora e produtora de conteúdo especializado em arte. Ele é roteirista, diretor e produtor de promos, vídeoclipes e séries de TV. “Eles amaram o projeto e quiseram ajudar a colocá-lo de pé. Ambos, também são apaixonados por arte, são peças fundamentais na criação do Artikin, o que resultou numa inevitável sociedade”, revela Biz.

Agora, numa cidade como São Paulo, que é gigante e possui inúmeras mostras acontecendo simultaneamente, a curadoria deve dar trabalho. “O processo de escolha das exposições é bem pessoal, a princípio. Frequentemente, estamos de olho nos principais guias, newsletters de galerias, folhetos e sites de arte. Escolhemos, visitamos e analisamos cada uma delas, subindo para o aplicativo somente aquilo que mais curtimos com um pequeno review”, explica.

A chegada do Artikin condiz muito com um fenômeno que tem ocorrido nas principais capitais brasileiras: a recente atração de pessoas que não tinham o costume de ir a museus por arte. Só em 2013, segundo a Secretaria da Cultura de São Paulo, 2,7 milhões frequentaram os espaços monitorados. No primeiro semestre de 2014, o número fechou em 1,4 milhões de visitantes a 14 dos principais museus da capital. Ou seja, estima-se que este ano acabe com um número bem maior em relação ao ano passado. É uma tendência provocada pelo uso das redes sociais e pelo aumento de mostras mais populares. Nesse cenário, ter um guia que seleciona as melhores exposições e as organiza da maneira mais prática possível é uma maravilha!

Por enquanto, São Paulo é a única cidade coberta pelo aplicativo, porém está nos planos de seus criadores levá-lo a outros lugares. O download do Artikin é gratuito, disponível somente para o sistema iOS, mas com uma versão para Android já em desenvolvimento.

Convido você a experimentar esta dica mais que valiosa!

/ Gostou deste post? Então experimente nossa newsletter semanal. Assine nossa newsletter.

/

Criador do @cultpopshow, amante de cultura pop e boas conversas. Faminto por novas ideias e fascinado pela história da juventude. Ama ler, escrever, ouvir músicas e assistir a séries de TV.

/CultPopShow © 2008-2014. Todos os direitos reservados.   |   Agência WCK