Image
Voltar ao topo
Exibir menu
29 de novembro de 2013

Antes do Amanhecer: uma análise da trilogia – Parte 2

A trilogia Antes do Amanhecer veio com a proposta de ruptura dos filmes românticos, sem diálogos fantasiosos ou idealização do casal perfeito. Uma importante contribuição para o gênero.

No texto anterior, falamos da contribuição de Antes do Amanhecer para o cinema, além de relembrar os melhores momentos do filme. Nesta segunda parte, vamos abordar os dois últimos filmes da trilogia.

Antes do Pôr-do-sol

Antes do Pôr-do-sol

Antes do Pôr-do-sol

O filme começa com Jesse na famosa livraria Shakespeare and Company, em Paris, fechando a turnê do livro inspirado na noite com Celine, e assim que ela aparece em cena é possível deduzir que eles não se reencontraram como combinado. Quando começam a conversar, Celine conta que não pode ir à Viena na data marcada, pois sua avó foi enterrada no dia, e ela fica arrasada quando descobre que Jesse havia ficado pela cidade durante 2 dias a sua espera.

Novamente, o tempo está contra o casal. Jesse ainda mora nos EUA, para onde precisa retornar ao anoitecer, então eles passeiam por Paris conversando sobre o que fizeram nos últimos anos. O amadurecimento é visível, pois Celine já está formada na faculdade (no primeiro, ela estava estudando) e trabalha com o que sempre sonhou, ajudando as pessoas através de associações e tem um namorado fotógrafo que vive viajando. Jesse, por sua vez, é um escritor consagrado em seu país, está casado e tem um filho.

O filme se foca na vida em que cada um construiu para si, chegando à conclusão de que eles estão infelizes em seus relacionamentos. Jesse desabafa sobre a ruína em que seu casamento caiu, e confessa que só tenta mantê-lo pelo filho. Celine não se mostra satisfeita também com o namoro, e quando está quase na hora de Jesse partir, ele pede a seu motorista que a deixe em sua casa, e no caminho ela coloca toda a culpa em Jesse por mexer com sua estabilidade (graças à história do livro). Outro ponto que deve ser ressaltado é a maneira esquiva como Celine o trata durante todo o passeio, no sentido de não mostrar interesse por ele.

Jesse pede como despedida que Celine toque uma das músicas que ela compôs, então eles sobem juntos até sua casa e ela toca uma valsa, tomando o cuidado de não dizer o tema. É possível dizer que a música é a declaração confessa de amor de Celine, equivalente ao livro que Jesse escreveu: A waltz for a night.

Antes da Meia-noite

Antes da Meia-noite inicia com Jesse conversando com o filho no aeroporto, após passarem o verão juntos na Grécia. No decorrer do filme, ele e Celine conversam sobre o menino e sobre como Jesse se sente frustrado por não ter podido participar tanto da vida do filho, pois sua ex-esposa o odeia e detém a guarda da criança, que já tem 13 anos. Depois, entra no carro com Celine e duas meninas que estão dormindo – ELES SE CASARAM! E TEM FILHAS!

O filme é bastante atípico para o enredo dos dois anteriores, que tinham como foco os diálogos do casal. Há uma cena, dividida em duas partes, em que Jesse conversa sobre suas ideias para os próximos livros com o escritor que o convidou para passar as férias na Grécia e outros dois homens, enquanto Celine ajuda as mulheres a preparar o almoço e conversam sobre culinária e relações em geral. Em seguida, ocorre a cena em que todos no local estão almoçando juntos e o assunto central é sobre relacionamentos, e em determinados momentos o casal ouve as opiniões e vivências dos outros, com certa amargura, melancolia e até desconcerto no olhar, dando a entender que têm problemas pendentes entre si.

Antes da Meia-noite

Antes da Meia-noite

Embora cada filme tenha como cenário cidades belíssimas, nenhum deles enfoca os pontos turísticos dos locais, demonstrando que, embora os lugares sejam importantes, o relevante mesmo são os diálogos travados entre o casal. Até porque, se Linklater estivesse preocupado em mostrar o ambiente, a Torre Eiffel teria aparecido, assim como as ruínas na Grécia. As cenas são mais realistas, mostrando apenas o caminho por onde as personagens estão andando e o que estão vendo: as ruas, as casas, o comércio local, as pessoas que encontram etc.

A ironia que envolve o terceiro filme pode ser facilmente identificada quando Jesse e Celine começam a se desentender e ter brigas tolas, e Celine começa a colocar a culpa de sua sobrecarga de problemas (no caso, cuidar de das filhas, da casa, do marido e nunca ter tempo para si) em Jesse. Mas por que ironia? No primeiro filme, logo no início, na parte em que ele a convida para descer em Viena, utiliza como argumento a imagem de Celine em um casamento fracassado, no qual ela coloca toda a culpa de sua infelicidade no marido, e daí começa a repensar sobre todos os caras que conheceu na vida e nas possibilidades que teve.

Uma ironia também envolve Celine. Ela comenta com Jesse que gostaria de tocar seu violão todo dia e compor mais canções, e no terceiro filme, enquanto brigam, ela se queixa de não tocar há tempos. Se aos 32 anos (no segundo filme) ela já achava que não fazia o bastante, então agora, aos 41 anos está ainda mais longe do ideal, embora seja dona da sua vida e esteja no auge da maturidade.

Ao contrário do imaginário do público, a continuação do filme é mais realista, mostrando que os dois não se reencontraram em Viena após 6 meses, e ambos estão infelizes com as vidas que têm levado desde então. Os dois já não falam sobre a vida, para onde irão ou o que querem, mas sim sobre as aspirações do pós-casamento.

O espaçamento entre cada filme é de 9 anos, assim abrindo caminho para duas interpretações em relação a isso. A primeira é a mais óbvia, pois é relativa ao passar da idade de Hawke e Julie, juntamente com Jesse e Celine, tornando seu amadurecimento mais realista. Em segundo plano, a interpretação é mais analítica; está ligada às fases pelo qual todos os relacionamentos passam: Antes do Amanhecer simboliza o encantamento, a paixão, o desvendar de quem é a outra pessoa e a vontade de não se separar do outro. Antes do Pôr-do-sol seria a afirmação do sentimento, a descoberta das razões para o que se sente e o início do amor de verdade. E Antes da Meia-noite é o relacionamento em seu mais profundo âmago, demonstrando que um casamento vai muito além do mero sentir e que o amor verdadeiro sobrevive ao dia a dia, sem a perfeição idealizada, mas maravilhoso em seus desencantos e encantos, perfeito em suas imperfeições diárias.

Antes do Amanhecer

/ Gostou deste post? Então experimente nossa newsletter semanal. Assine nossa newsletter.

/

Escritora de minuto por paixão, amor e loucura. Em sua mochila sempre carrega um livro, caderno e caneta. Blogueira desde cedo, atualmente cursa Jornalismo, é colunista no blog literário Vá ler um livro, da MTV, e idealizadora do projeto O Folhetim, também voltado à literatura.

/CultPopShow © 2008-2014. Todos os direitos reservados.   |   Agência WCK